Tempero prático

Eu não gosto de cozinhar e não sou boa cozinheira. Também não tenho tempo para ficar me esmerando – e nem quero. Mas minha família tem que comer e pelo menos 3 refeições diárias são necessárias. Vou passar aqui algumas dicas de como eu me viro para que minha família não morra de fome e minha inaptidão para as artes culinárias possa passar despercebida… pelo menos uma boa parte do tempo.

Está claro para mim que não há como fugir da cozinha, sempre há muito o que fazer por lá – e não me refiro apenas ao ato de cozinhar. Por isso mesmo já deixo uma boa parte das tarefas desagradáveis engatilhadas, assim tenho condições de preparar uma refeição no menor tempo possível.

Infelizmente essa preparação também leva tempo, mas pelo menos posso dedicar-me a ela quando o tenho, e não trinta minutos antes de ir para o trabalho, por exemplo. Deixando uma boa parte adiantada consigo me organizar para fazer a maior parte das tarefas no meu tempo disponível e depois simplesmente dar um acabamento e a refeição fica pronta em menos de meia hora.

Deixar as coisas já engatilhadas também ajuda a organizar melhor as tarefas domésticas porque não somos obrigadas a parar por 2 horas tudo o que estamos fazendo para preparar a refeição, tirar a mesa depois, lavar louça, etc, etc, etc… E bota eticétera nisso….

Uma das coisas que mais me irritavam era ter que preparar o tempero que ia usar. Não sou fã dos temperos industrializados, por melhores que sejam nunca dão à comida o mesmo sabor que os ingredientes naturais. Então com o passar do tempo fui desenvolvendo meu “tempero natural”, vamos chamá-lo aqui de “tempero da Zazá”.

INGREDIENTES

8 cabeças de alho descascadas (cabeças e não dentes; cada “cabeça” tem vários dentes)

1 cebola grande descascada e cortada em 4 pedaços

1 maço pequeno de cebolinha (utilize só a parte branca, que fica perto da raiz, a parte verde guarde para temperar saladas ou pique e guarde num potinho na porta da geladeira para colocar no arroz, por exemplo)

2 xícaras de chá de óleo (e nem se atreva a me perguntar como se faz “chá de óleo)

Se gostar (eu não gosto) pode adicionar também 2 cubinhos de caldo de galinha ou de carne.

Importante: não adicione sal.

COMO FAZER

Coloque o óleo no liquidificador e vá batendo aos poucos, adicionando mais à medida em que for ficando pastoso. Se houver dificuldade de “rodar”, adicione mais um pouco de óleo. Mas a ideia é que fique pastoso e não líquido, então talvez você tenha que parar o liquidificador (importante!) e reacomodar os ingredientes no centro, apertando um pouco até que tudo seja bem picado e fique com consistência pastosa.

Quando estiver bem pastoso e uniforme, vá colocando em potinhos ou vidrinhos com tampa. Eu costumo guardar esses potes pequenos de maionese, Nescau, etc… para esse fim. Não coloque em vidros grandes porque fica difícil de usar e a parte de cima vai ficando seca e a de baixo vai “encharcando” no óleo.

Quando for usar, lembre-se de que já há óleo no tempero, portanto reduza a quantidade ao mínimo, só para refogar. Eu normalmente uso uma ou duas colheres de sopa quando vou fazer algum prato (para o arroz uma só fica perfeito) mas você pode ir testando até achar a quantidade necessária para que a comida fique saborosa sem “carregar” demais no tempero.

Tampe bem os potinhos e coloque-os na porta da geladeira, logo abaixo da prateleira dos ovos. Não coloque no congelador. Use sempre uma colher limpa e seca para tirar, deixe sempre tampado, não esqueça fora da geladeira e não adicione água. Bem conservado dessa maneira seu tempero poderá durar até 2 semanas.

Se você raramente cozinha ou se usa pouco tempero, reduza os ingredientes à metade e faça apenas meia medida.

Depois você me diz como ficou e… pode me convidar para almoçar em sua casa. Isto é: se você não for uma cozinheira tão ruim quanto eu, bem entendido…

Anúncios

Tags: , , ,

2 Respostas to “Tempero prático”

  1. Arroz rápido e prático « Nos mínimos detalhes Says:

    […] dia. Então quando vou fazer coloco 6 xícaras. Lavo, deixo escorrer bem, coloco na panela o “tempero da Zazá” com umas 2 colheres de sopa de óleo e refogo bem. Refogo mais que o […]

  2. Feijão sempre novo « Nos mínimos detalhes Says:

    […] pouco eu já uso no mesmo dia, jogo o “tempero da Zazá” na panela, refogo e coloco o feijão. Adiciono sal e dou uma amassada nos grãos para que […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: